Saiba como a atividade física pode auxiliar a regular o metabolismo e evitar doenças

10 de julho

A prática de fazer exercícios regularmente é uma importante aliada para o bom funcionamento do metabolismo. O médico do IBCC Formosa, Dr. William Bittar Júnior, especialista em Medicina Intensiva e Medicina do Trabalho, esclarece que o metabolismo é definido como conjunto de processos físicos e químicos do corpo que mantêm o funcionamento normal como respiração, circulação sanguínea e função nervosa.

Para realizar todos esses processos o corpo converte os alimentos que a pessoa come em energia. O sistema digestivo transforma o alimento em combustível que é usado imediatamente ou armazenado nos tecidos do corpo. “Idealmente os exercícios devem ser realizados de 3 a 5 vezes por semana, mas pode-se começar devagar, fazendo apenas 2 dias por semana, durante 30 a 60 minutos. A partir da segunda semana, pode aumentar a frequência para 3 ou 4 dias, conforme a disponibilidade de tempo”, diz o médico.

Vale destacar que a realização de exercícios físicos tem grande importância para manter a qualidade de vida e prevenir doenças, como a obesidade e doenças cardíacas. “A prática de atividades auxilia no bom funcionamento do organismo, proporcionando bem-estar, regulando o sono além de ajudar a manter o peso corporal. Atividade física fortalece o sistema imunológico e ajuda a combater estresse e doenças”, ressalta William.

Além disso, a atividade física também pode ser benéfica para quem sofre de dor nas costas, pois ajuda a reduzir a dor, corrigir a postura e a alongar os músculos. No entanto, o especialista destaca que um bom programa de exercícios deve ser prescrito levando em conta as individualidades de cada pessoa. “As atividades físicas devem ser realizadas por todas as pessoas, de todas as idades e de forma regular. Mas antes de deixar de ser sedentário, deve-se marcar uma consulta médica para verificar as articulações e o funcionamento cardíaco, porque alguns pacientes só devem fazer exercícios com auxílio do professor de academia ou fisioterapeuta”, lembra o Dr. William.

© 2020 IBCC Oncologia | RT: Dr Walter Galvão CRM 112.793