Coronavírus: Frequência de pacientes com câncer varia de 0,9% a 1% segundo literatura médica

3 de abril

Incertezas do momento exigem cuidados físicos e psicológicos

Todos os pacientes oncológicos em tratamento devem ter cuidado redobrado para não adquirir a infecção. Os pacientes com câncer e em tratamento oncológico, tanto o curativo quanto o paliativo, parecem ter maior risco de infecção grave pelo coronavírus, embora o número de casos de infecções neles seja pequeno.

A frequência de pacientes com câncer e coronavírus varia de 0,9% a 1% na literatura médica. Esses pacientes podem apresentar redução na eficiência do sistema imunológico, seja pela doença, seja pelo tratamento a que está sendo submetido.

O cenário ao qual estamos inseridos com essa pandemia pode gerar sentimentos e emoções em todas as pessoas. Incertezas provocadas pela doença e que envolvem desde riscos de contaminação, passando pela recomendação de isolamento social, podem causar ou agravar as já existentes questões relacionadas à saúde mental.

Quando passamos por uma situação de instabilidade é possível que o medo, as dúvidas e as preocupações façam parte dessas vivências, o que pode ser encarado como algo natural, visto que o organismo direciona energia para buscar o equilíbrio.

A ânsia pela estabilização desses vários sentimentos pode surgir e é importante se manter atento a eles e procurar estar presente, vivenciando o aqui e agora, afim de evitar sintomas característicos da ansiedade.

Com base em estudos recentes, a Equipe de Saúde Integrativa do IBCC Oncologia elaborou e reuniu dicas com o intuito de auxiliar pacientes e profissionais de saúde a enfrentarem de maneira positiva a covid-19.

Para pacientes:

  • Expressar emoções, falar sobre o momento que você está vivenciando é uma forma positiva de lidar com essas situações que estamos vivendo.
  • Lavar as mãos adequadamente, evitar contato com pessoas com sintomas e que tenham viajado para áreas com a epidemia e ficar longe de locais com aglomerações são as principais recomendações.
  • Caso você apresente sinais/sintomas do COVID-19, febre, tosse ou falta de ar, procure o Pronto Atendimento mais próximo ou que aceite o plano de saúde.
  • Para proteger os pacientes considerados mais vulneráveis e limitar o risco de exposição tanto para pacientes quanto profissionais, o IBCC Oncologia recomenda acompanhante apenas em casos de necessidade. Durante o tratamento quimioterápico, só manteremos acompanhante mediante casos de extrema necessidade.
  • As melhores maneiras de se proteger são evitar sair de casa, higienizar sempre as mãos, evitar tocar olhos, nariz, boca e se necessitar sair da residência manter distância mínima de um metro de outras pessoas.
  • As máscaras só devem ser usadas se a pessoa estiver doente. Não é aconselhável para pessoas saudáveis. Ela serve para impedir a transmissão do coronavírus para outras pessoas.
  • A vacina contra a gripe pode e deve ser tomada por paciente que tenha feito transplante de medula óssea e ainda para quem realiza quimioterapia e radioterapia.
  • Os pacientes integrantes de estudo do Centro de Pesquisa Clínica do IBCC Oncologia continuarão com os procedimentos. Nada modificará no tratamento.

Para profissionais:

  • Fique atento as emoções, elas são como um termômetro do bem-estar físico e emocional. Em caso de emoções exacerbadas ou desconhecida não hesite em compartilhar com colegas, familiares e/ou chefia. Falar possibilita que você elabore melhor a emoção predominante e tenha apoio externo para lidar com ela.
  • Reduza o contato com notícias que podem gerar ansiedade ou estresse. Busque informações apenas de fontes seguras. A enxurrada de notícias sobre um surto pode levar a pessoa à preocupação, ao esgotamento emocional acarretando em sintomas físicos como cansaço, irritabilidade e insônia.
  • Reserve um tempo para ter momentos prazerosos como ler um livro, assistir um filme ou até mesmo apreciar músicas.
  • Evite formas errôneas de lidar como estresse como o uso de tabaco e bebidas alcoólicas. A longo prazo, eles pioram o bem-estar físico e mental.
  • Para os trabalhadores da área da saúde sentir-se pressionados diante da crise é normal, o estresse e as sensações geradas com esse quadro não significam que você não seja capaz de fazer o trabalho ou que seja uma pessoa fraca. Se sentir-se preocupado ou sobrecarregado e achar que isso está impactando no cuidado com o paciente, peça ajuda.
  • Por fim escolha quem você deseja ser diante da pandemia. É uma oportunidade de nos tornamos pessoas melhores com os outros e com a gente mesmo. Vamos unir forças para cuidar da gente e do outro. Reconhecer que estamos fazendo o melhor, cuidando de pessoas, histórias e vidas.

*Autoria e coautoria dos psicólogos do IBCC Oncologia: Alex Pedro da Silva (CRP 06/150474) e Emília de Azevedo Oliveira (CRP 06/83004)

Revisão: Dra. Juliana Barros, pneumologista, coordenadora da equipe Saúde Integrativa e integrante da equipe Cuidados Paliativos do IBCC Oncologia e Dr. Lin I Ter, oncologista clínico, acupunturista e integrante da equipe de Saúde Integrativa do IBCC Oncologia.

© 2020 IBCC Oncologia | RT: Dr Walter Galvão CRM 112.793