O IBCC Oncologia realiza primeira radioembolização hepática com Y90

9 de janeiro

O procedimento também conhecido como Radioterapia Interna Seletiva (SIRT, na sigla em inglês) é um tratamento locorregional transarterial que entrega microesferas radioativas, carregadas com Ítrio-90 (Yttrium-90) diretamente no tumor por meio de técnicas de cateterismo arterial hepático.

A médica Marcia Tavares, coordenadora de Medicina Nuclear do IBCC Oncologia, ressalta que “o tratamento tem o benefício de ser realizado apenas por uma punção vascular na região inguinal“. No caso específico o paciente trata um câncer hepático desde 2016, o procedimento foi feito sob anestesia local.

Trata-se de opção para pessoas com tumores inoperáveis no fígado, tanto primários como metastáticos, que não tiveram sucesso em outros tratamentos. A técnica pode ser aplicada, ou não, paralelamente ao tratamento quimioterápico. Além de retardar o avanço da doença, ela melhora a qualidade de vida do paciente com câncer.

Antes de ser realizada, a radioembolização requer um mapeamento vascular do tumor para a verificação de qualquer comunicação com outros órgãos, pelo risco de migração para locais indesejados.

Para o Dr. Francisco Leonardo Galastri, Radiologista Intervencionista do IBCC Oncologista, “a radioembolização não cura o câncer, mas reduz consideravelmente o tamanho do tumor e evita que ele cause mais danos ao paciente“, destaca o médico que é um dos responsáveis pelo tratamento no hospital.

O Dr. Francisco ressalta ainda que, “o IBCC mantem caráter de vanguarda no cenário nacional do tratamento oncológico e pode oferecer aos pacientes mais uma arma poderosa e eficiente no combate ao câncer”, finaliza.

A radioembolização hepática com Ítrio-90 foi realizada primeiramente em 2014 no Brasil, entretanto, até este momento, somente em 5 hospitais nacionais estão credenciados à execução desta técnica, dado a necessidade de estrutura associada a recursos humanos específicos a este fim.

© 2020 IBCC Oncologia | RT: Dr Walter Galvão CRM 112.793