fbpx

Por que quem está com suspeita de COVID-19 não pode se vacinar?

23 de abril

Quando  a pessoa apresenta um quadro infeccioso, não deve tomar a vacina, pois sua imunidade está baixa. Nos casos de vacinas oriundas de vírus atenuados (sarampo, caxumba, rubeola, febre amarela e polio oral, por exemplo), pode ocorrer a infecção pela própria doença que a pessoa busca a imunização. No caso da vacina da Covid-19, em que o vírus é inativado, não há a possibilidade de ser infectado pela doença, pois o vírus foi inativado.
Porém, os quadros de infecção levam à produção de anticorpos e de compostos que têm a função de proteger o organismo e estas substâncias interferem nas respostas do corpo às vacinas. Outro ponto é que se a pessoa estiver infectada haverá dificuldade no diagnóstico, pois o quadro poderá ter sido causado pela vacina ou pela infecção.

 

– A imunização contra a covid-19 requer cuidado especial em relação às outas vacinas? Quais?

Os cuidados com a vacina estão relacionados aos estudos, inexistindo até o momento estudos em crianças e grávidas ou que relacionem a vacina contra a Covid-19 com outras vacinas. Desta forma, deve haver orientação médica para quem tem alguma dúvida. É preciso observar o tempo de 1 mês para tomar a vacina da Covid-19 após ter sido infectado pela doença e ainda 2 semanas de intervalo entre a vacina da gripe e a vacina da Covid-19.

 

– Quem teve Covid-19 pode doar sangue? Quanto tempo depois?

Quem foi diagnosticado com coronavírus pode doar sangue 30 dias após recuperação total (ausência de sintomas). O isolamento social imposto pela pandemia corroborou para que todos os bancos de sangue do País, presenciassem seus estoques em níveis críticos.
Ainda não há uma cultura da população brasileira em realizar a doação de sangue regularmente e a necessidade de permanecer em casa durante a pandemia tem agravado ainda mais a quantidade de pessoas que procuram os bancos de sangue.
Por isso, as regras sanitárias determinadas pelo ministério da saúde, tais como o uso de máscara, álcool em gel, agendamento das doações e o reforço na higienização no ambiente da doação, foi fundamental para que o doador sentisse seguro e voltasse a comparecer aos postos de doação.

 

Validação: SCIH (Serviço de Controle de Infecção Hospitalar) São Camilo Oncologia.
Banco de Sangue São Camilo Oncologia.

© 2021 São Camilo Oncologia | RT: Dr Walter Galvão CRM 112.793