fbpx

Mastologista fala sobre paciente que comemorou última quimioterapia no IBCC Vila Mariana

11 de dezembro

Destaque na imprensa ontem, 10/12, Aparecida da Silva, 59 anos, foi registrada pela equipe de reportagem da rede globo quando estava dentro do carro cheio de balões e com o escrito: “Minha última quimioterapia” seguindo para sua última aplicação no IBCC Oncologia, na Unidade Vila Mariana. A homenagem preparada pelas filhas e netos repercutiu em alguns jornais de SP. Dia especial para ela que realiza tratamento do câncer de mama iniciado em maio de 2020. “Fiz ao total 16 sessões e hoje eu estava ansiosa para a última quimioterapia. Quando eu desci para a garagem para entrar no carro e ir para o IBCC, vi tudo enfeitado com essa surpresa maravilhosa das minhas filhas e isso meu deu um “up”, fiquei animada. Não podia estar em mãos melhores do que estou no IBCC, com esses profissionais humanos e com uma família muito presente e carinhosa”, conta a aposentada que após essa fase de tratamento se prepara para a cirurgia.

Hoje, a dra Carolina Matielli, mastologista do IBCC Oncologia que acompanhou seu tratamento conversou com a equipe do Bom Dia São Paulo sobre a importância do apoio que as pacientes precisam ter quando descobrem a doença, o envolvimento da família, do hospital e da equipe multidisciplinar. “O tratamento do câncer envolve uma atuação multiprofissional de médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e outros profissionais essenciais no acolhimento desta jornada. A cada novo procedimento ou passo dado tudo precisa ser muito explicado e orientado”, destacou a médica.

De acordo com a média, “quando há o diagnóstico, junto com ele não tratamos somente o paciente, a família inteira adoece, os amigos e muitos pacientes sofrem impactos grandes no trabalho e na sociedade como um todo. As mudanças físicas, mentais e emocionais precisam de acompanhamento especializado e aqui no IBCC Oncologia esse trabalho é muito intenso desde o momento do diagnóstico até a hora que esse paciente vai embora. Há uma participação multidisciplinar nessa jornada”, complementou.

Câncer e pandemia

O diagnóstico da Dona Aparecida foi no auge da pandemia e bastante desafiador. “Nós sabemos que o câncer não espera. Temos uma via livre de covid no IBCC e fluxos oncológicos seguros para que nenhum diagnóstico ou tratamento seja interrompido. É preciso um local seguro e que o paciente tenha hábitos seguros para seguir com o tratamento, prevenindo ou minimizando a possibilidade de infecção por covid. O IBCC é um hospital privado, realiza também atendimentos ao SUS atendendo diversos públicos e orientamos a todos de forma intensa sobre as ações seguras para vir ao hospital mantendo seu tratamento em dia, pois a imunidade de uma pessoa que faz quimioterapia, por exemplo, fica totalmente comprometida”, conclui a dra Carolina.

 

Link do Bom dia SP de hoje: https://globoplay.globo.com/v/9093090/

© 2021 IBCC Oncologia | RT: Dr Walter Galvão CRM 112.793