Acesso Rápido

Seja bem-vindo(a), hoje é Quarta-feira, 08 de Abril de 2020

Sem saber que o aparecimento de mais uma pinta seria o diagnóstico de câncer de pele, mulher conta como superou sua doença

11 de dezembro

Em abril de 2019, Vania Martinho Mendes, de 40 anos, notou uma pinta na coxa esquerda, pequena e bem escura. Na época, a assistente comercial pensou que fosse uma pinta nova, não se lembrava de ter a marca na região e não deu muita importância.

No entanto, meses depois, percebeu que o sinal continuava lá, estava com bordas mais irregulares, um certo relevo e resolveu procurar ajuda médica em 20 de agosto.

Depois de analisar pelo microscópio, a médica particular dela resolveu tirar uma amostra da pinta no consultório e enviar para biópsia. “Embora para a minha médica, a princípio, a pinta não parecer ser câncer, na biópsia foi constatado melanoma”, revelou Vânia.

A principal causa da doença é a exposição excessiva ao sol. No caso da assistente comercial, não houve exageros. Muito pelo contrário. “Sempre me protegi, nunca gostei de abusar do sol”, conta. Ocorre que o melanoma pode também acometer pessoas sem nenhum fator de risco conhecido.No mês de outubro, Vânia, finalmente decidiu consultar um dermatologista do IBCC Oncologia, veio até o Pronto Socorro e passou em atendimento com o dr. Aldo Toschi, coordenador da área de Dermatologia do IBCC Oncologia.

É importante salientar que o câncer melanoma é o tipo mais grave, devido à alta possibilidade de provocar metástase e por esse motivo, causa mais de 1.700 óbitos anualmente no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é que 6.260 brasileiros sejam diagnosticados com a doença ainda neste ano, sendo 2.920 homens e 3.340 mulheres. Ele é caracterizado por uma lesão, que pode ser uma ferida ou nódulo, com evolução lenta.

No mesmo mês passou pela cirurgia micrográfica de mohs. Segundo o médico, o procedimento retira o câncer de pele, camada por camada, até a completa remoção do tumor.

Agora, Vânia está em processo de remissão e diz que a experiência com o câncer de pele a deixou muito mais atenta sobre como proteger a pele e observar atentamente sinais e manchas pelo corpo.




Campanha Dezembro Laranja

O mês de dezembro conta com grande incidência de raio solar que pode ser nocivo à saúde. Por isso, campanhas como Dezembro Laranja são tão importantes. Trata-se de iniciativa cujo objetivo é aumentar a conscientização sobre o câncer de pele e os riscos da exposição solar sem o uso de protetores. A ideia veio da Sociedade Brasileira de Dermatologistas (SBD) em 2014 e pretende contribuir para redução dos casos da doença no Brasil. A Campanha tem apoio de várias entidades com a realização de atividades de conscientização em praias, parques, praças, ações de informação na internet e a iluminação laranja de monumentos e órgãos governamentais espalhados pelo país.

Clique aqui e saiba mais sobre a campanha.

© 2020 IBCC Oncologia